RADIADORES da MERCEDES são PEQUENOS DEMAIS
Por Sérgio Siverly em 05/07/2019, às 13h47

remove_red_eye  1307
Engenheiro chefe da equipe confessou que o conceito do W10 sacrificou o sistema de arrefecimento.
Nesta altura do campeonato, todos nós sabemos que a Mercedes sofreu com as altas temperaturas em Spielberg devido ao seu sistema de arrefecimento e o engenheiro chefe da Mercedes, Andrew Shovlin, comentou os problemas enfrentados pelo W10 no episódio do “Pure Pitwall” disponível no canal da equipe no Youtube. 🗣“Fundamentalmente, o carro não tem radiadores grandes o bastante e fomos muito otimistas com o quanto conseguiríamos trabalhar com o sistema de arrefecimento.” 🗣“O sistema está entregando menos do que esperávamos e significa que teremos alguns problemas para manter tudo numa temperatura aceitável, principalmente, a unidade de potência para evitar avarias.” https://youtu.be/8Fhud_XwT1Q 🗣“Você pode aumentar o resfriamento abrindo mais o carro. Estava 35°C na Áustria e estávamos no limite. Quando você chega neste ponto, suas opções tornam-se limitadas.” Para proteger a unidade de potência no ambiente extremamente quente, Bottas e Hamilton foram forçados a um processo relevante de tirar o pé do acelerador e deixar o carro rolar por cerca de 400 metros antes do ponto de frenagem. 🗣“Por isso que nosso desempenho estava limitado. Você também pode desligar um pouco o motor para gerar menos calor, mas tem menos potência e fica mais lento nas retas. Então, tínhamos uma limitação significativa na Áustria.” 🗣“Estamos trabalhando neste sistema, mesmo antes da Áustria e tentaremos resolvê-lo para melhorar nossa posição, mas é algo fundamentado no desenho do carro, onde para termos um conjunto bem apertado, acabamos deixando o carro sem o resfriamento necessário.”

O menino que ficava em frente da TV com um prato fingindo ser um piloto de F1 nos anos 1990 e o cabeça de gasolina por trás do BOTECO F1.

Vídeos relacionados
Desenvolvido por
Contém Tecnologia