Aston Martin considera fabricar próprios motores a partir de 2026
Equipe do bilionário Lawrence Stroll está estudando fabricar seus próprios motores a partir de 2026, quando o novo regulamento das unidades de potência entra em vigor.
Por Sérgio Siverly em 21/02, às 08h56

Uma das perguntas que mais recebo é “por que a McLaren não fabrica seus próprios motores?”

Como já explicamos em um vídeo há alguns anos, a equipe de Woking não tem o dinheiro necessário para investir na fabricação e manutenção de suas próprias unidades de potência.

Entretanto, dinheiro não é um problema para a Aston Martin que está considerando fabricar seus próprios motores a partir de 2026, quando as PUs serão mais baratas e menos complexas do que as atuais.

🗣”Acho que evoluindo com nossas ambições, acredito que podemos investigar nosso fornecimento de motores a longo prazo. 2026 teremos um novo regulamento e adoraríamos estar envolvidos”, disse o diretor técnico da Aston, Andrew Green.

Vale lembrar que a Aramco, uma gigante petrolífera, tornou-se patrocinadora master do time em 2022 e em 2026, teremos um novo combustível que promete zerar a taxa de emissões de carbono casando com o planejamento da F1 de ser neutra nas emissões até 2030.

🗣”Temos a Aramco agora envolvida como patrocinadora e acreditamos que as conversas vão evoluir nos próximos anos, veremos. Tenho certeza que olharemos detalhadamente para entendermos se será algo bom para nós”, completou Green.

A Red Bull, empresa do ramo de energéticos, criou uma unidade totalmente nova para fabricar seus próprios motores em Milton Keynes, incluindo ajuda da Honda até, pelo menos, o final de 2022.

Se a Red Bull foi para esse lado não tendo nenhum envolvimento com o ramo automotivo - a não ser que uma certa montadora alemã entre na jogada 👀 - calcule o que a Aston Martin pode fazer com essa tecnologia.

Agora me pergunto, será que a McLaren está mexendo os pauzinhos para seguir os mesmos rumos? Talvez envolvendo aquela montadora alemã? 🤔

BOTECO F1
Todos os direitos reservados
2022