Área de AVIÕES da HONDA AJUDOU na EVOLUÇÃO da F1
A HondaJet ajudou a evoluir a unidade de potência da montadora na F1, de acordo com um documentário da NHK.
Por Sérgio Siverly em 09/01, às 12h49
O setor de motores de aviões da Honda ajudou o setor de F1 a resolver os problemas de confiabilidade da montadora na categoria. A co-operação começou em 2017 após a McLaren terminar o contrato com a empresa japonesa. A Toro Rosso já recebeu as unidades de potência com uma nova arquitetura fabricada com a ajuda da HondaJet. A montadora tinha problemas sérios com vibrações no eixo conectado ao MGU-H. Essa peça gira em uma alta velocidade - cerca de 125.000 rpm - de acordo com o regulamento técnico da F1.
A vibração causava uma série de falhas, o que forçava a Honda a usar o motor em um modo limitado. O problema levou a equipe de F1 a reunir-se com os especialistas da HondaJet, afinal, motores de aeronaves precisam de alta confiabilidade por questões de segurança. Os técnicos da HondaJet ajudaram com o problema nas lâminas do turbo dos modelos da F1, de acordo com um recente documentário produzido pelo canal NHK.
As mudanças na unidade de potência incluem a alteração do tamanho e forma do eixo para otimizar a estabilidade em alta velocidade. O novo motor já mostrou desempenho no momento que foi introduzido: Na segunda corrida de 2018 no Bahrein, Pierre Gasly terminou em quarto com sua Toro Rosso, que na época, era o melhor resultado da Honda desde seu retorno à F1. O trabalho bem sucedido com a Toro Rosso levou a Red Bull a usar motores da montadora japonesa pela primeira vez no ano passado. O time conquistou três vitórias desde então e estendeu sua parceria com a fabricante até pelo menos, 2021.
Sérgio Siverly
O menino que ficava em frente da TV com um prato fingindo ser um piloto de F1 nos anos 1990 e o cabeça de gasolina por trás do BOTECO F1.
BOTECO F1
Todos os direitos reservados
2020